LAURAARRUDA.COM

Onde Sua História É Notícia…

Resumao da tarde: Noticias do Brasil e do Mundo

Otan: Finlândia e Suécia enviarão delegações à Turquia

A Finlândia e a Suécia enviarão delegações à capital da Turquia, Ancara, na quarta-feira (25) para tentar resolver a oposição turca aos seus pedidos de adesão à aliança militar ocidental Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), disse o ministro das Relações Exteriores da Finlândia, Pekka Haavisto. As objeções turcas frearam o que a Suécia e a Finlândia esperavam que fosse um processo de adesão rápido, já que os dois países buscam reforçar sua segurança após a invasão da Ucrânia pela Rússia.

Anvisa pede uso de máscara para adiar chegada da varíola dos macacos

Diante do aumento no número de casos da varíola de macaco, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) emitiu nota reforçando a necessidade de adoção de medidas “não farmacológicas”, como distanciamento físico, uso de máscaras de proteção e higienização frequente das mãos, em aeroportos e aeronaves, para retardar a entrada do vírus no Brasil.

A varíola de macaco é uma doença pouco conhecida porque a incidência é maior na África. Até o momento, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) há 131 casos confirmados de varíola dos macacos, registrados fora do continente africano e 106 outros casos suspeitos, desde que o primeiro foi relatado em 7 de maio. Ainda, de acordo com a agência, essas recomendações protegem não só contra a varíola e a covid-19, mas também contra muitas doenças infectocontagiosas.

Diante do quadro, o Ministério da Saúde criou uma sala de situação para monitorar o cenário da varíola dos macacos no Brasil. A medida, anunciada pela pasta na noite desta segunda-feira (23), tem como objetivo elaborar um plano de ação para o rastreamento de casos suspeitos e na definição do diagnóstico clínico e laboratorial para a doença.

Relatório mostra excesso de consumo alimentar na Europa

A Europa importa dois terços da quantidade de comida que exporta, consome mais do que precisa e ainda põe fora fora parte dos alimentos de que dispõe, afirma a organização não governamental (ONG) ambientalista WWF, em relatório divulgado hoje (24).

Em números de 2020, a União Europeia importou 122 bilhões de euros em produtos agroalimentares e exportou 184 bilhões. A Europa ganha porque exporta produtos de alto valor e importa produtos de baixo valor, mas quem sofre é “o fornecimento alimentar mundial”, diz a WWF.

A WWF aponta o efeito no mundo que os padrões de consumo europeus provocam, salientando que “os atuais níveis elevados de produção alimentar só são possíveis graças à importação maciça de recursos”.

Para a organização, a mudança deve ser para a “produção de gado em pastagem” em vez de importar produtos agrícolas “que conduzem à destruição dos ecossistemas naturais” e tiram espaço a “culturas que se podiam destinar à alimentação humana”.

Com informações da Agencia Brasil

Laura Arruda Online